Em novembro, o Ministério da Cidadania vai transferir R$ 11,1 milhões às pessoas aptas a receber o benefício no Estado

O pagamento do Bolsa Família de novembro começou na última segunda-feira (18) e segue até o dia 30. Ao todo, o Ministério da Cidadania vai transferir R$ 11.137.371,00 às famílias rondonienses aptas a receber o benefício. O valor médio pago é de R$ 155,53. A beneficiária Isleide de Souza considera o programa bastante importante para recompor as finanças da casa. Há dois anos, ela estava grávida e o marido, desempregado. Foi quando começou a receber o Bolsa Família, que ainda é utilizado para suprir itens básicos da rotina familiar.

“Agora meu esposo trabalha e eu também, com faxina. O benefício me ajuda bastante porque tem as meninas e ajuda com elas, ou às vezes ajuda a pagar uma água, uma luz. Às vezes, tem que ir no médico, e acaba tendo um dinheirinho para ajudar. Esse dinheiro parece que sempre vem numa hora em que estamos precisando, mesmo”, afirma.

No total, são 71.607 famílias beneficiadas em Rondônia. A garantia de uma renda mínima destinada à sobrevivência é característica do Bolsa Família, aponta o secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra. “O Bolsa Família é um dos programas de transferência de renda de referência mundial e que ocorre em nosso País. São treze milhões e meio de famílias no Brasil, correspondendo a algo em torno de 43 milhões de pessoas. A cada pagamento que se faz, você percebe a importância dos recursos do Bolsa, que permite às famílias que não tem renda acima de R$ 88 sem o Bolsa, suprir as suas necessidades básicas e a alimentação do básico ao longo do mês”, afirma.

Pagamento do 13º
O benefício extra do Bolsa Família, a ser creditado em dezembro, está garantido. O pagamento da 13ª parcela a todos os beneficiários do programa foi anunciada em outubro, com a edição da Medida Provisória (MP) Nº 898. O adicional totaliza uma injeção extra de R$ 2,58 bilhões na economia. A medida reforça o compromisso do governo federal em combater as desigualdades sociais do país, aumentando o poder de compra da parcela mais pobre da população brasileira.

Calendário
Em novembro, o pagamento do benefício segue o calendário escalonado. Para saber o dia do pagamento, o beneficiário deve conferir o Número de Identificação Social, o NIS, impresso no cartão do programa. Os que terminam com final 1 podem sacar o dinheiro no primeiro dia do pagamento. Os com final 2, no segundo dia – e assim por diante. Os recursos ficam disponíveis para saque por um período de três meses. Para saber a data exata do pagamento, basta acessar: facebook.com/bolsafamilia.

Comentários

comentários