Sim, também mérito dos servidores integrantes de seu quadro, que mesmo sem a valorização devida …

Mesmo sem a implementação e o não pagamento dos Adicionais de Qualificação Funcional (AQFs), das licenças-prêmios, do reajuste salarial 2019, do alto índice de adoecidos, além de outros direitos que não estão sendo concedidos aos servidores do Poder Judiciário, o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, recentemente, recebeu o Prêmio Diamante de Qualidade que atesta sobre a excelência no cumprimento de 100% das metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Contudo, para o servidor Ricardo Paraízo essa condecoração máxima conferida ao órgão referido pelo CNJ é, sim, também mérito dos servidores integrantes de seu quadro, que mesmo sem a valorização devida mantém firme o compromisso de oferecer uma prestação jurisdicional de excelência. Não obstante diversas decisões da atual Administração do Tribunal de Justiça no sentido de ignorar direitos dos servidores, a eficiência destes revela-se ímpar em termos de Brasil. Vale lembrar que o quadro de pessoal nunca foi tão pouco resposto como nos últimos 02 anos.

Portanto, apesar do Judiciário Rondoniense ter alcançado alta pontuação dentre os critérios do CNJ, com 986 pontos, sendo a segunda maior entre todos os Tribunais de Justiça do Brasil, em face do que já foi descrito anteriormente, “o que se interpreta da Administração do Tribunal é que ela não enxerga o brilho reluzente do diamante advindo da categoria dos servidores”, ressalta Paraízo.

Ricardo Paraízo

Comentários

comentários