DCIM100MEDIADJI_0210.JPG

Os julgamentos serão realizados entre os dias 4 e 21 fevereiro, com início às 8 horas, no Fórum César Montenegro, localizado na Avenida Pinheiro Machado esquina com Gonçalves Dias

Nesta terça-feira, 4, o 2º Tribunal do Júri da Comarca de Porto Velho, capital de Rondônia, inicia o julgamento de crimes contra vida, com 9 processos. Os julgamentos serão realizados entre os dias 4 e 21 fevereiro, com início às 8 horas, no Fórum César Montenegro, localizado na Avenida Pinheiro Machado esquina com Gonçalves Dias.

Dia 4, Railson Rodrigues da Costa será julgado sob acusação de ter matado José Francisco Gomes da Silva com vários tiros. Segundo a pronúncia, a motivação do crime seria porque o réu encontrou a vítima conversando com a sua ex-companheira. O crime aconteceu no dia 10 de julho de 2016, por volta das 23h30, na Rua Getúlio Vargas, em Porto Velho. O réu responde em liberdade o Processo n. 0012063-64.2016.8.22.0501.

Dia 5, Wilton Lopes Brito vai a julgamento sob acusação de ter matado José Pereira de Lima com uma paulada. Segundo a pronúncia, no dia do crime, a vítima, juntamente com o réu e a esposa deste, consumia drogas na casa do acusado. Em dado momento, Wilton Lopes, por ciúmes de sua esposa, teria discutido com a vítima; e aproveitado um momento que José Pereira ficou de costas, para pegar uma “perna-manca” e atingir a cabeça de José. O crime foi “no dia 23 de fevereiro de 2013, por volta de 19h30, na Rua Gregório de Matos, Bairro Teixeirão, na Comarca de Porto Velho-RO”. Processo n. 0006507.86.2013.8.22.0501. Réu solto.

Dia 6, Jose Valmir Cunha senta na cadeira dos réus. Ele é acusado de ter tentado matar a sua ex-companheira, Rosimar Santos do Nascimento, com várias facadas. A vítima só não foi a óbito porque, mesmo ferida, conseguiu fugir e obter atendimento médico. Rosimar teria sido surpreendida pelo agressor no momento em chegava em casa. Segundo apurado no processo, o acusado não aceitava o fim do relacionamento. O crime foi no dia 16 de março de 2019, na Rua Princesa Isabel, n. 8891, Bairro São Francisco, Porto Velho”. O réu é acusado de tentativa de homicídio qualificado, com agravante de feminicídio. José Valmir responde, preso, ao Processo n. 0005979-42.2019.8.22.0501.

Getúlio de Almeida Barbosa será julgado no dia 11. Ele é acusado de matar o seu “amigo”, Péricles Dias Gomes, com vários tiros. De acordo com a pronúncia, a motivação do crime seria a cobrança de dívida de drogas, que o acusado devia à vítima. O crime ocorreu no dia 11 de março de 2018, na Rua Higienópolis, Bairro Mariana, em Porto Velho. Processo n. 0007919-76.2018.8.22.0501. Réu solto.

No dia 12, o réu Henrique Andrade dos Santos, que responde preso ao processo 0000176-78.2019.8.22.0501, será julgado sob acusação de ter matado com várias facadas a vítima Averaldo da Costa Mendonça, que era deficiente físico (cadeirante). No dia do fato, réu e vítima estariam em um comércio, onde o acusado deixou cair no chão um saco de farinha e o cadeirante teria resmungado. Diante disso, segundo a pronuncia, o réu saiu do local e logo retornou com uma faca, com a qual passou a esfaquear a vítima. Averaldo da Costa, a vítima, não falava devido a sua deficiência (necessidades especiais). O crime aconteceu no dia 1º de dezembro de 2017, na Vila Jirau, Distrito de Mutum Paraná, jurisdição da Comarca de Porto Velho.

No dia 13, Wilian da Silva de Paula, que está solto, vai a julgamento sob acusação de tentativa de homicídio contra a vítima Dionei de Souza Pereira. O acusado teria ficado enfurecido por ser denunciado por ligar o som em alto volume. Conta na denúncia que de surpresa, atingiu a cabeça de Dione com uma barra de ferro e fugiu. A vítima foi socorrida por populares. O crime aconteceu na madrugada do dia 10 de setembro de 2016, na Rua Zona Franca, Conceição, em Porto Velho. O acusado ingeria bebida alcoólica com um amigo.

Dia 18, Rogério Cunha da Silva de Freitas Santana, 27, vai a julgamento sob acusação de ter praticado duas tentativas de homicídios e lesão corporal. Segundo a sentença de pronúncia, o acusado tentou matar o seu próprio pai, 52, e sua ex-companheira, 28, utilizando um pedaço de madeira e um boca-de-lobo; além disso, teria agredido fisicamente a sua sogra, 47. Conta na pronuncia que o pai foi agredido porque tentou salvar a vida da nora das agressões do filho. Já a sogra teria sido agredida agredida, porque tentava salva a vida de sua filha. Toda confusão foi motivada porque Rogério, supostamente, não aceitava a separação conjugal. Os fatos ocorreram, dia 13 de maio de 2019, Ramal Embratel – Prof. Miro, no Município de Itapuã do Oeste, jurisdição da Comarca de Porto Velho. Processo n. 0007528-87.2019.8.22.0501. Réu Solto.

Edgar Pinheiro de Oliveira será julgado no dia 19. Ele é acusado de ter cometido os crimes de homicídio, ocultação de cadáver e tentativa de atribuir os crimes a outra pessoa. A acusação da morte, a facadas, de Manoel da Silva Rocha, ocorrida no dia 13 de junho de 2015, recai sobre Edgar Pinheiro. A ocultação do cadáver foi em uma tubulação de esgoto no canteiro central da Avenida Jorge Teixeira com a Rua Quintino Bocaiúva. Além disso, no dia 29 de junho de 2015, em depoimento na Delegacia Especializada de Crimes Contra a Vida, em Porto Velho, o acusado se identificou como sendo Sílvio Santos dos Santos, para se livrar da acusação. Processo n. 0011494-97.2015.8.22.0501. Réu solto.

A última sessão da pauta está prevista para o dia 20 fevereiro. Vão a julgamento Ednilson Peixoto da Silva e Maria Aparecida Inuma Vilacorte. São acusados de praticarem os crimes de homicídio, ocultação de cadáver e destruição de provas. Os réus são acusados de matarem, com facadas, Lucas Neves Ribeiro, quando este estava dormindo. O crime foi no dia 20 de abril de 2018, em uma residência na Vila da Penha, Distrito do Município de Abunã, que é jurisdição da Comarca de Porto Velho. Após o homicídio, a vítima foi levada para beira da rua, sendo encoberta com um lençol. O local do assassinato foi varrido e lavado para apagar vestígios de sangue. Segundo a pronuncia, o dia do crime, réus e vítima ingeriam bebida alcoólica e, em dado momento, Lucas Neves resolveu parar de beber e ir dormir; aproveitando-se disso, premeditadamente, Ednilson Peixoto, supostamente, incentivou e deu a faca à Maria Aparecida, que, por várias vezes, esfaqueou o pescoço da vítima. Ambos acusados respondem preso ao Processo n. 0006322-72.2018.8.22.0501.

Comentários

comentários