Os salários iniciais de um Policial Militar no Ceará é o 21º mais baixo do país, entre as 27 unidades da Federação. Por isso, se compreende a mobilização da categoria por vencimentos mais justos. Ou seja, o motivo da paralisação dos PMs cearenses é das mais justas, embora greve e motim sejam totalmente ilegais e assim devam ser tratados. A batalha é justa, mas os meios utilizados errados. O salário de um PM no Ceará é de apenas 3.253 reais. Comparando-se com os maiores vencimentos, o de Goiás, onde um PM ganha 5.767 reais, os cearenses realmente estão sendo muito mal pagos, num Estado violento e onde a morte de policiais é também um risco diário. Os membros da PM rondoniense, por exemplo, têm um salário inicial de 4.232 reais, representando o 11º piso para a categoria, em nível nacional. Já no mais rico estado brasileiro, a desvalorização das forças de segurança é ainda mais notória. Mesmo com um recente aumento de 5 por cento, o ganho base de um PM paulista é de apenas 3.143 reais. Em pior situação ainda estão Rio Grande do Norte (2.904 reais); Bahia (2.837); Pernambuco (2.819) e o “lanterna”, Espírito Santo, com o ridículo vencimento de 2.778 reais.

Além de Goiás, o Distrito Federal tem o segundo melhor salário do país: 5.245 reais. Depois vem (olhem só!) nosso vizinho Acre, com o terceiro melhor salário da PM no país: 5.113. Há alguns casos inacreditáveis, como o Rio de Janeiro, que vive uma verdadeira guerra civil há mais de 25 anos e onde cada vez maior número de policiais são mortos por bandidos. Lá, o salário inicial é perto do risível, por tudo o que eles enfrentam: 3.453 reais. Num país onde o crime organizado cresce assustadoramente; onde leis são feitas para proteger bandidos e criminalizar a polícia; onde a inversão de valores atinge, quase todos os setores da sociedade, pagamentos irrisórios feitos a homens e mulheres que vivem arriscando suas vidas, para manter o brasileiro comum sob ao menos com alguma segurança, compõem mais um ingrediente assustador. Não há como aceitar o desrespeito às leis, com atos ilegais – incluindo motim e ameaças com armas – que parte dos policiais militares realiza no Ceará. Mas, de outro lado, como não compreender o desespero de profissionais, que põe suas vidas em jogo todos os dias e que não têm dinheiro sequer, muitas vezes, para alimentar suas famílias? Não se pode aceitar que defensores da lei e da ordem se insurjam contra elas, mas, ao mesmo tempo, há que de analisar a questão dos PMs sob o prisma do espírito de humanidade. Nada de anistia, mas tudo de compreensão, até porque, se não fossem os salários vergonhosos impostos a esses profissionais, por autoridades que, muitas vezes ganham, elas sim, verdadeiras fortunas, nada disso estaria acontecendo. Que o Brasil repense o que se paga à polícia militar (e aos professores, também, no geral, sofrendo do mesmo mal!) e que a verdadeira justiça salarial chegue aos quartéis. E às escolas!

WALTENBERG APOSENTADO, É CANDIDATO!

O MDB rondoniense está em festa. Isso mesmo! Ele está pronto para entrar na corrida pela Prefeitura! O Desembargador Walter Waltenberg Junior, virtual candidato do MDB à sucessão de Hildon Chaves, deixou a Magistratura e, agora, como cidadão comum, pode almejar a Prefeitura de Porto Velho. Em documento encaminhado ao Tribunal de Justiça, com data de 26 de fevereiro (quarta-feira desta semana que está terminando), Waltenberg oficializou seu pedido de “aposentadoria voluntária”, através do ofício de número 328/2020. A partir de agora, feitos os trâmites legais, um dos mais respeitados magistrados da história do Judiciário do nosso Estado, pode se dedicar ao novo desafio a que se propôs, entrando no complexo mundo da política. É nome novo e virá com o aval do maior partido de Rondônia. Será, sem dúvida, um adversário que não se baterá com facilidade, nas urnas.

PV JÁ TEM TRÊS NOMES À PREFEITURA

Tem um partido que não está entre os maiores, mas que anda comemorando avanços importantes. O Partido Verde, PV, liderado no Estado pelo deputado estadual Luizinho Goebel, hoje umas maiores líderes políticos do Cone Sul, está bombando. Em Porto Velho, por exemplo, já tem três pré candidatos à Prefeitura. E uma relação de 20 homens e 11 mulheres, compondo uma forte relação de pretendentes à Câmara Municipal. Os três nomes, entre os quais um deles será o escolhido pelo PV para disputar o comando na Capital, são conhecidos da população. Um deles é o ex vereador e ex deputado estadual (chegou a presidir a Assembleia Legislativa), Hermínio Coelho. O outro é também ex vereador, Jaime Gazola. A terceira pré candidatura posta é Reinaldo Rosa, que também colocou seu nome para uma eventual chapa a ser formada para a corrida pela cadeira de Hildon Chaves. Nos debates, por enquanto, Gazola só aceita disputar a Prefeitura, mas Hermínio e Reinaldo se colocaram a disposição do partido, para enfrentar uma candidatura a vice-prefeito, numa eventual composição. A partir de agora, certamente pesquisas de opinião vão indicar qual dos três teria chances reais. Por volta de junho, já se saberá quem será o nome do PV.

EM VILHENA, PARCERIA COM OS TUCANOS

Luizinho Goebel, aliás, consolida o Partido Verde no Estado não só em Porto Velho, mas também no interior. Em Vilhena, por exemplo, seu principal reduto eleitoral, o PV vai se aliar aos tucanos, para apoiar a tentativa de reeleição do prefeito Eduardo Japonês. Aliás, quando Japonês se elegeu, após a cassação da então prefeita Rosani Donadon, ficou clara a importância de Goebel, que se aliou ao projeto desde o início e foi fundamental para a vitória do empresário. Japonês agora está novamente no pacote de pré candidatos e virá não só com o apoio maciço do PSDB rondoniense, como, novamente, com o do PV, do deputado Luizinho. A disputa em Vilhena, aliás, será acirrada, novamente colocando como antagonistas os atuais detentores da Prefeitura contra o grupo dos Donadon, que ainda tem um eleitorado fiel na cidade. Outra vez, Luizinho pode desequilibrar a balança em favor do seu candidato, pelo prestígio que tem na sua principal base.

JÚNIOR COM OS DINOS: EMOÇÃO E BOAS NOVAS

Numa entrevista recheada de boas notícias – e também com momentos de emoção – o chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, teve uma participação destacada no programa Papo de Redação, nesta sexta. Ao conversar com os Dinossauros Domingues Júnior, Jorge Peixoto, Beni Andrade e Sérgio Pires, Júnior falou nos primeiros 14 meses de Marcos Rocha à frente do Estado; anunciou muitos investimentos; reafirmou a prioridade em 2020 para as estradas estaduais; abordou a perigosa situação do Iperon, mas, também, falou sobre questões pessoais, sobre os desafios do cargo, as imensas responsabilidades e a batalha para conciliar tudo isso, sempre com os olhos voltados à realização do melhor possível para a população do seu Estado. Não fugiu de perguntas, inclusive de ouvintes, que também passaram pela questão da empresa da sua família, quando explicou novamente toda a situação e, emocionado, fez uma homenagem especial ao seu pai, o empresário José Gonçalves.

CINTOS APERTADOS E A BELMONT, EM OBRAS…

Sobre os planos para este segundo ano de governo, Júnior disse que, depois de arrumar a casa, quando recebeu um orçamento com um “furo” de 430 milhões de reais e terminar o ano com um superávit de 350 milhões, Marcos Rocha começa agora a ter dinheiro para muitos investimentos. “Apertamos os cintos, cortamos todos os gastos desnecessários, reduzimos os custos do Estado ao mínimo e foi isso que permitiu que o dinheiro economizado onde era gasto sem necessidade, fique sobrando, para se investir em serviços para a população, em todos os setores”. Júnior também falou no projeto do governo para privatizar várias empresas estatais, como a Soph (dos portos) e a CMR (de mineração) e a Rongás. Além disso, entre várias informações positivas, o secretário confirmou que a Estrada do Belmont será mesmo muito melhorada e depois asfaltada, resolvendo um problema de mais de 30 anos. E confirmou: as obras já começaram…

ENFIM, UM LIXO A MENOS NAS RUAS

Estava caminhando para entrar no ano 4. Era uma espécie de simbologia em relação ao desrespeito e ao abandono que, muitas vezes, caracterizam algumas áreas da cada vez mais problemática Porto Velho. Jogado à rua, como se aqui fosse a Casa da Mãe Joana, um carro, destruído, só sucata, ficou na avenida Calama, próximo ao Banco do Brasil, zona nobre da Capital, durante mais de três anos. O veículo acidentado foi atirado junto à calçada, perto da esquina com a rua Salgado Filho e ali ficou, num monumento ao desrespeito, quase um símbolo de como nossa cidade é tratada. Depois de muitos protestos, matérias jornalísticas, berros das mídia, fotos e textos reclamando, publicados nas redes sociais, enfim, a sucata foi retirada. Na manhã da sexta, um caminhão da Prefeitura guinchou o veículo, levando-o, certamente, para o verdadeiro lixo, onde deveria ter sido, há longo tempo, seu verdadeiro lugar. Demorou, mas, enfim, foi feito!

CADA VEZ MAIS ÁGUA

O fevereiro chegou ao fim e o março começou com nova ameaça de enchente não só em Porto Velho, como no interior também. Não é só o rio Madeira que está muito perto de sair do leito, mas também o rio Machado, em Ji-Paraná e vários outros, em diferentes regiões. Na sexta-feira, em Presidente Médici, a BR 364 chegou a ser interditada durante algumas horas, já que a água do Machado tomou conta da pista. As más notícias não param por aí. Previsão do tempo para este final de semana e para a os próximos dias é de muito mais chuva não só no Estado, mas também nas cabeceiras de alguns dos nossos principais rios, principalmente o Madeirão. Não há perspectiva, felizmente, que se repita a tragédia de 2014, mas, mesmo assim, a população ribeirinha e de áreas urbanas próximo ao rio, em Porto Velho, já está assustada. A Defesa Civil está mobilizada. O inverno amazônico está castigando, mais uma vez…

MUTIRÕES AJUDAM A ENXERGAR DE NOVO

Quase 14 mil rondonienses, a maioria de gente idosa, que há anos espera em filas para fazer cirurgias de olhos, serão beneficiados, no final do programa da Secretaria de Saúde do Estado em seus mutirões, que já atenderam algo em torno de 2.500 pessoas e que, neste sábado, lançou mais um projeto para que, nas próximas semanas, outros tantos sejam beneficiados. O secretário Fernando Máximo participou do lançamento do novo passo do programa, num evento realizado na Clinica Sol, centro da Capital, empresa parceira do Governo e dirigida pelo jovem e competente médico Ricardo Pianta, comandando uma grande equipe de profissionais. Máximo chega a se emocionar ao falar no programa, em que pelo menos 500 pessoas, que já estavam praticamente cegas há muito tempo, por causa da catarata, voltaram a enxergar. As cirurgias custam, em média, 1 mil reais por olho. No mínimo, 14 milhões de reais serão investidos. Muito desse dinheiro tem vindo de emendas parlamentares de deputados como Léo Moraes, Jaqueline Cassol, Lúcio Mosquini e Coronel Chrisóstomo. O governador Marcos Rocha, segundo Máximo, é um entusiasta do programa e se emociona cada vez que participa de eventos como os mutirões que estão sendo realizados tanto na Capital quanto no interior.

PERGUNTINHA

A manifestação de 15 de março, na sua opinião, é contra as instituições – como Congresso Nacional e STF – ou contra alguns parlamentares e ministros em quem o país não mais confia?

Comentários

comentários