Ex-funcionários do Supermercado Gonçalves realizam na manhã desta segunda-feira 02.03 um ato público de protesto em frente ao novo Fórum Cível do Tribunal de Justiça de Rondônia, em Porto Velho, para pedir celeridade na execução da sentença que julgou procedente a falência da empresa e pagamento das indenizações a aproximadamente mil trabalhadores.

O movimento começou às 7 horas da manhã e tão logo começou o movimento, o juiz Antônio Barreto, da 6ª Vara Cível, Falência e Recuperações Judiciais, que assumiu a titularidade da pasta há menos de um mês, decidiu atender uma comissão de ex-funcionários e a assessoria jurídica do Sindecom – Sindicato dos Comerciários, realizador do ato público.
Não foi permitida a entrada da imprensa.

Na semana passada, o Sindecom distribuiu uma Carta Aberta à população e à imprensa em relação ao andamento do processo 7031016-02.2016.8.22.0001, que decretou a falência do Supermercado. O Juízo da 6ª Vara de Falência suspendeu o andamento processual por 30 dias, paralisando o andamento normal do pagamento das indenizações que já se arrastam por vários meses.

As indenizações chegam a R$ 15 milhões referente a verbas de natureza alimentar dos ex-servidores como FGTS, e salários atrasados. Os trabalhadores estão há mais de 30 FGTS e já retornaram da Previdência, sem retornar qualquer tipo de indenização. Segundo o Manifesto da categoria, a questão trata-se de ´Dignidade da Pessoa Humana´.

Matéria atualizada às 10h40:

A reunião entre a comissão de trabalhadores do Supermercado Gonçalves, assessoria jurídica do SIndecom e o Juízo da 6ª Vara de Falência, e Recuperações Judiciais em torno do pagamento das indenizações devidas aos mais de mil ex-funcionários daquela empresa terminou agora há pouco.

Segundo o advogado do Sindecom, Felipe Góes, o juiz José Antônio Barreto, tranquilizou os trabalhadores e disse que o prazo de suspensão termina na quina-feira 05.03 e que no dia seguinte já irá dar a sentença no sentido de que seja efetivada a venda dos imóveis da massa falida Supermercado Gonçalves para pagamento dos trabalhadores.

Comentários

comentários