O vice presidente da República, General Mourão, estará em Porto Velho nesta terça. Ele faz um périplo pela região, conversando com os Governadores e com autoridades ambientais sobre o novo projeto que comandará: a Comissão da Amazônia. Já esteve no Pará e depois daqui ainda irá ao Acre e aos demais estados do norte. Criada no governo Fernando Henrique Cardoso, a Comissão quando atuou, sempre o fez dando porque a preferência a ONGs (muitas estrangeiras), e entidades ligadas a partidos de esquerda, que dominam a região há pelo menos três décadas, ditando a política ambiental do país. Mourão vem com o firme propósito de fazer com que a Amazônia seja mesmo dos brasileiros, que tenhamos o domínio e o poder decisório sobre essa que é uma da mais ricas regiões do Planeta e que é nossa, apenas nossa! As aberrações como a que ocorreram em Roraima, onde o governo pró estrangeiros do país, com o aval do STF, entregou aos índios uma área enorme, onde até hoje, durante à noite, brasileiros não entram, é só um exemplo disso. A Reserva Raposa Serra do Sol fazia parte de uma área rica na produção de arroz, em que brancos e índios viviam em paz. Hoje, abandonada, os próprios indígenas que a receberam de presente (com exceção daqueles que foram doutrinados em cursos ideológicos, em diferentes países), estão famintos, maldizendo essa medida doentia, absurda e antipatriótica que, em algum momento, aqueles que optarem por esse tenebroso caminho, vão ser responsabilizados por seus crimes contra o Brasil.

Que ninguém se engane com a linguagem cuidadosa do General Mourão, quando ele fala que a Comissão da Amazônia vai ouvir os Governadores e demais interessados nas questões ambientais. Ouvir até pode, mas certamente, as decisões, no final, sempre vão priorizar os interesses maiores do Brasil. Criada também para preservar a floresta, combater as queimadas e as invasões ilegais (tudo isso precisa ser mesmo combatido), a Comissão da Amazônia terá também a missão de proteger nossas riquezas; de impedir que elas sejam levadas por representantes de países estrangeiros, muitos deles golpistas, que se arvoram de amantes da natureza, mas que, na verdade, querem levar o que não é deles e encher seus bolsos. A Amazônia precisa ser tratada com seriedade, respeito, patriotismo, reverência. Ninguém melhor que Mourão, um dos maiores brasileiros especialistas sobre o tema, para conduzir os novos rumos que devemos tomar. Temos que respeitar o meio ambiente, mas dar um basta às ONGs e às instituições aparelhadas que impedem nosso desenvolvimento, mas que fecham os olhos para os criminosos que levam nossas riquezas. A Amazônia é só nossa. Mourão sabe disso melhor do que ninguém. Que tenha sucesso na sua complexa missão!

FALTOU APENAS UM “PEQUENO DETALHE”

A inversão de valores no Brasil e no mundo chega a níveis insuportáveis. Pelo menos entre as pessoas de bem. Recentemente, o Papa Francisco recebeu, como se fosse apenas um fiel amigo, a um ladrão de dinheiro público, condenado em duas instâncias. Foi incrível ver a cena do chefe da Igreja Católica abençoando o ladravaz. Suzane Von Richthofen matou os pais, mas continua quase como uma queridinha da mídia. Agora, mais um caso triste, lamentável, doentio. Um transexual, cujo nome de nascimento é Rafael Tadeu Oliveira Santos, mas, como se diz mulher, é chamada de Suzy, cumpre pena numa cadeia paulista. Apareceu no programa Fantástico, da TV Globo, sendo abraçado pelo dr. Dráuzio Varela, aquele mesmo, que lamentou profundamente que o detento esteja há anos sem receber visitas. Comoção nacional. Até que…a criatura sofredora, abandonada na cadeia, teve sua verdadeira história relatada. A personagem que mereceu um grande espaço num dos programas de TV mais assistidos do país, agora revolta os brasileiros de bem, por apenas um “pequeno detalhe”. Na Reportagem, Dráuzio se “esqueceu” de dizer que Suzy estuprou e matou, de forma cruel, uma criança de apenas nove anos. Para a Globo e para o médico, certamente, nada tão importante quanto o abandono do preso. Não dá vontade de vomitar?

A GASOLINA NÃO PÁRA DE SUBIR

O preço do barril de petróleo caiu 20 por cento no mercado mundial, por causa de uma guerra comercial entre Arábia Saudita e Rússia. Mas isso, infelizmente, não quer dizer nada para o consumidor brasileiro. Os preços dos combustíveis nas bombas, só crescem, enquanto o governo federal e os governadores empurram o problema um para o outro. O rondoniense, por exemplo, na Capital, tem que gastar muita gasolina ou álcool ou óleo diesel para descobrir algum posto que ainda não tenha colocado seus preços lá em cima, como um no bairro Flodoaldo Pontes Pinto, que já vende a gasolina a nada menos que 4,89 reais. Na outra ponta, um deles, na avenida Migrantes, faz a venda por 4,47, provavelmente o preço menor que vai se encontrar na cidade. Já há localidades em Rondônia em que o preço está acima dos 5 reais. Já em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, maior produtor de petróleo do país, os otários estão pagando, desde essa segunda-feira, nada menos do que 6 reais pelo litro. Uma vergonha!

ENERGISA TEM QUE CUMPRIR LEI ESTADUAL

A tese da Energisa de que as ações estaduais relacionadas com a empresa não são válidas, já que as empresas do setor são geridas apenas pela legislação da Aneel, não deu certo. Ao menos em Rondônia. E ao menos para o juiz Edenir Sebastião Albuquerque, da 2ª Vara da Fazenda Pública da Capital. Ele negou pedido de liminar da Energisa, que queria que a lei aprovada na Assembleia Legislativa do Estado, sobre troca de medidores, fosse considerada ilegal. O magistrado manteve inalterados os efeitos da Lei estadual que proíbe a concessionária de remover medidores e padrões de energia elétrica, sem prévia notificação dos consumidores, em casos de suspeita de fraude. E, ainda, negou que o Estado seja obrigado a dar proteção policial às ações de fiscalização. O juiz Edenir Albuquerque destacou, em sua decisão, a necessidade de uma análise mais profunda da questão que envolve centenas de consumidores em todo o Estado e lembrou que o abastecimento de energia é um serviço essencial, que não deve sofrer interrupção. A Lei atualmente exige que a Energisa notifique com antecipação mínima de três dias a realização do serviço nos medidores.

HILDON CHAVES E A REELEIÇÃO

Há pouca dúvida, ainda, sobre se Hildon Chaves vai ou não disputar a reeleição. Até há dois meses, ele estava praticamente decidido a não entrar na briga, de novo. Mas como em política as coisas mudam todos os dias, o pacotaço de obras que vêm sendo realizado na cidade (ao mesmo tempo, 22 áreas estão sendo beneficiadas) e a perspectiva concreta de solução de problemas que existiam há décadas (como o transporte coletivo e o transporte escolar), deram novo alento ao Prefeito. Seus seguidores pressionaram muito e ele deve anunciar, provavelmente dentro de algumas semanas, que vai sim disputar a reeleição. Com a Prefeitura saneada, com dinheiro em caixa e fazendo muitas obras, a maior dificuldade agora é a Prefeitura conseguir realizar tudo o que está andando em pouco tempo. Novas pesquisas estão sendo feitas em vários bairros da cidade. Os primeiros números também teriam sido alentadores para Hildon. Por isso tudo, é muito provável que ele vá mesmo buscar mais quatro anos de mandato. Mas como em política nada é definitivo, melhor mesmo é esperar pela decisão oficial.

GUAJARÁ: LUZ NO FIM DO TÚNEL

Parece que, dessa vez, Guajará Mirim terá o tratamento que merece, por parte do governo estadual. Em reunião realizada na manhã desta segunda, na Casa Civil, sob o comando do secretário Júnior Gonçalves e com participação dos secretários da Sefin, Luiz Fernando e da Sedi, Sérgio Gonçalves, além de representantes de entidades empresarias, como Vanderlei Oriani, da Associação Comercial e Chico Holanda, presidente do Instituto Empresarial do Estado, o prefeito Cícero Noronha e membros da sua equipe começaram a discutir investimentos e passos iniciais para a industrialização da cidade fronteiriça. O deputado Jair Montes representou a Assembleia Legislativa. Basicamente, duas questões básicas fizeram parte do debate: a implantação da Zona Livre de Comércio na cidade e a doação de áreas para a instalação de um Distrito Industrial na cidade. Noronha informou que pelo menos cinco empresas estão se habilitando a se instalar no município e mais uma, de grande porte, também está em negociação. Alguns passos já foram dados, para incentivar a implantação de indústrias em Guajará. Uma delas é de grande importância: até 85 por cento de desconto no ICMS, desde que a empresa cumpra requisitos importantes, inclusive relacionados com a geração de empregos. Guajará caminha para sair do marasmo e começar a ter um desenvolvimento que sua população merece. Tomara que dessa vez, os projetos saiam do papel!

APOSENTADORIA: WALTENBERG OFICIALIZA PEDIDO

Agora é definitivo. O Desembargador Walter Walternberg oficializou seu pedido de aposentadoria voluntária. O documento foi encaminhado ao presidente da Corte, desembargador Paulo Kiochi Mori. Waltenberg afirmou a dificuldade da decisão, dizendo que o ambiente honrado, seguro e de muito estudo lhe trouxe tranquilidade por mais de 35 anos. “Devo afirmar, Senhor Presidente, que esse pedido se deve a uma vontade muito grande de empreender, que se revela neste momento maior do que o desejo de exercer a jurisdição”. Também comentou sobre seus projetos, lembrando de suas experiências no campo do agronegócio. O desembargador, cuja última missão especial no Judiciário foi presidir o Tribunal de Justiça no Estado, afirmou que a política é um terreno diferente: e o que parece certo hoje, pode não acontecer amanhã. Esta aposentadoria, portando, não está ligada a qualquer pretensão política, mas exclusivamente à vontade de continuar administrando”, ressaltou.

SOLIDARIEDADE SE PREPARA PARA OUTUBRO

Trinta e dois nomes confirmados. Uma relação de personagens importantes da Capital faz parte da nominata que o Solidariedade, partido comandado em Rondônia pelo ex governador Daniel Pereira, vai apresentar ao eleitorado, em outubro próximo, para concorrer à Câmara Municipal. Nomes como o do jornalista Eduardo Kopanakis, um dos mais respeitados no meio da imprensa, estarão a disposição do eleitorado. O partido garante que também terá candidatura própria à Prefeitura. Obviamente que o mais conhecido e com maior potencial eleitoral é o próprio Daniel Pereira, mas, ao menos até agora, ele ainda não falou oficialmente se estará ou não na disputa. Em Ariquemes, contudo, o Solidariedade já tem seu pré candidato confirmado. Trata-se do ex deputado estadual Tiziu Jidalias, uma das maiores lideranças da região do Vale do Jamari. O Solidariedade já esta organizado em vários municípios rondonienses e quer ter papel de destaque na eleição de outubro próximo.

PERGUNTINHA

Qual sua opinião sobre o destaque dado a um personagem, num programa nacional de TV, que trucidou uma criança de nove anos?

Comentários

comentários