A Caixa Econômica Federal disponibilizou nesta terça-feira (7) o site por meio do qual informais, autônomos e MEIs podem solicitar o auxílio emergencial de R$ 600.

A Caixa Econômica Federal lançou nesta terça-feira (7) os aplicativos para Android e iOS para o cadastro do recebimento do ‘coronavoucher’ – auxílio emergencial de R$ 600, válido por três meses, voltado a trabalhadores informais que estão sem renda devido à quarentena para combater a pandemia do novo coronavírus.

O aplicativo identificará os trabalhadores que não estão em nenhuma outra base do governo, como o Cadastro Único (CadÚnico) e o Bolsa Família — aqueles que recebem o benefício não precisam fazer o novo registro.

A reportagem preparou um tutorial para ajudar quem precisa usar o aplicativo, desde o momento do download nas lojas de app até o envio das informações para o governo. As instruções também são válidas para quem se cadastrar por meio de computadores no site https://auxilio.caixa.gov.br/.

Veja abaixo as etapas necessárias:

1. Faça o download na loja de app correspondente ao seu celular. Para Android, basta visitar este link da Play Store. Para iOS, o app pode ser baixado na App Store. Nos dois casos, também é possível encontrar a ferramenta pesquisando pelo título “CAIXA | Auxílio Emergencial”.

Como obter o app Auxílio Emergencial para celulares Foto: Reprodução – iOS App Store
2. Na tela inicial, estão disponíveis duas opções: “Realize sua adesão” e “Acompanhe sua solicitação”. Vamos escolher a primeira, para iniciar o cadastro.

3. O app mostrará as condições para ter direito ao benefício. É preciso se encaixar em todas:

a. Ter mais de 18 anos;

b. Não ter emprego formal;

c. Não receber os seguintes benefícios: previdenciário, assistencial, seguro-desemprego, programa de transferência de renda

d. Ter renda familiar mensal de até R$ 522,20 por pessoa ou renda familiar total de até R$ 3.135,00

e. Não ter recebido rendimentos tributáveis no ano de 2018 acima de R$ 28.559,70

f. Exercer atividade em uma das seguintes condições: Micro Empreendedor Individual (MEI); contribuinte individual ou facultativo ao Regime Geral de Previdência Social; Trabalhador informal

4. Nessa mesma tela, é preciso demonstrar ciência de que preenche todas as condições acima e autorizar o uso dos dados para validar as informações.

Telas iniciais do app, com as regras para ter direito ao ‘coronavoucher’ Foto: Reprodução – app Auxílio Emergencial
5. A seguir, esses são os dados que devem ser preenchidos para efetivamente realizar o cadastro: nome completo, CPF, data de nascimento e nome da mãe.

6. Depois, preencha o número do celular para receber um código de verificação por SMS. Esse código deve ser inserido no próximo campo.

Dados pessoais requisitados pelo app Auxílio Emergencial Foto: Reprodução – app Auxílio Emergencial
7. O trabalhador deverá informar qual era sua renda mensal, sua atividade profissional, estado e cidade.

8. Também devem ser informados quantas pessoas com CPF residem com o solicitante. É preciso informar o nome e o CPF de todas elas.


Validação por SMS, dados complementares e composição familiar Foto: Reprodução – app Auxílio Emergencial
9. Nessa etapa, o trabalhador escolhe como receberá o benefício: em uma conta já existente ou se a Caixa criará uma conta poupança digital – totalmente gratuita.

10. Para quem optar pela criação de uma conta digital, é preciso informar um documento de identificação. São aceitos RG e CNH.

Onde receber o pagamento: abrir uma nova conta ou ultilizar uma já existente Foto: Reprodução – app Auxílio Emergencial
11. Por fim, basta revisar todos os dados preenchidos. Se não houver erros, o trabalhador deve concordar com os termos e condições e, então, submeter sua aplicação ao auxílio.

Clique aqui para acessar: https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio

Baixe aqui o aplicativo para Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.caixa.auxilio

Baixe aqui o aplicativo para IOS: https://apps.apple.com/br/app/caixa-aux%C3%ADlio-emergencial/id1506494331

O benefício será pago a trabalhadores informais, autônomos e MEIs.

Será preciso se enquadrar em uma das condições abaixo:

Ser titular de pessoa jurídica (Micro Empreendedor Individual, ou MEI);

Estar inscrito Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do Governo Federal até o último dia dia 20 de março;

Cumprir o requisito de renda média (renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa, e de até 3 salários mínimos por família) até 20 de março de 2020;

Ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social.

Além disso, todos os beneficiários deverão:

Ter mais de 18 anos de idade;

Ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);

Ter renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família;

Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

A mulher que for mãe e chefe de família, e estiver dentro dos demais critérios, poderá receber R$ 1,2 mil (duas cotas) por mês.

Na renda familiar, serão considerados todos os rendimentos obtidos por todos os membros que moram na mesma residência, exceto o dinheiro do Bolsa Família.

Da CNN, em São Paulo

Comentários

comentários