O número de casos confirmados da Covid-19, em Rondônia, passa dos 4), segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde. De acordo com especialistas, as próximas duas ou quatro semanas podem representar o pico de infecção pelo novo coronavírus.

MAPA DO CORONA VÍRUS

Em Rondônia: 27 em Porto Velho; sete em Ariquemes; três em Rolim de Moura; dois em Ouro Preto do Oeste; um em Jaru; um em Ji-Paraná; e um em Vilhena.

Neste domingo foram confirmados oito novos casos de Covid-19 no Estado, cinco no município de Ariquemes, sendo três mulheres (26, 32 e 46 anos) e dois homens (31 e 33 anos), dois casos em Porto Velho, sendo uma mulher de 35 anos e um homem de 75 anos de idade; e um homem de 28 anos em Ouro Preto do Oeste.

A Agevisa ressalta que os dados não são lidos e atualizados imediatamente pelo Ministério da Saúde, por isso há atraso (delay) no registro de casos que estão sendo acompanhados diariamente por equipes de saúde nos municípios.

ALERTA SOBRE A DOENÇA

“O cálculo de projeção é o seguinte: A cada pessoa infectada, multiplica por seis. Isso quer dizer que teremos um crescimento no número de infectados. Estamos saindo do período de chegada e instalação da doença. Portanto, o aumento no número de casos depende das nossas medidas de contenção, mas últimas semanas”, explicou o médico infectologista, Dr. Thor Dantas.

Dr Thor destacou que a contaminação comunitária é um fator que deve aumentar os cuidados pessoais. “A transmissão comunitária ocorre quando você já não sabe de onde pegou o vírus, ou seja, qualquer pessoa pode estar infectado e não saber”, frisou.

O médico reforçou ainda as medidas de prevenção que a população deve seguir a risca. “Além de lavar bem as mãos, evitar aglomerações e se precisar manter distância de outras pessoas, temos agora uma novidade que é o uso da máscara pela população. Pode ser máscara caseira, feita de algodão 100%. Não ficar pegando a máscara e troca-la pelo menos uma vez ao dia é fundamental também”, chamou atenção.

O infectologista alerta: “Precisamos nos proteger de forma ampla. Ainda vemos muitas pessoas pelas ruas, se aglomerando em locais como supermercados, por exemplo. A situação é de cuidados redobrados. Idosos, pessoas com doenças crônicas fiquem em casa. Crianças e adultos com sintomas de gripe, mesmo que não sejam graves, pratiquem o isolamento”.

com informações angevisa, sesau e ac 24 horas

Comentários

comentários