Pelo menos 19 aldeias pelo país restringiram a circulação de acesso às aldeias por conta da pandemia do novo coronarívus. Os bloqueios acontecem no Acre (Puyanawa e Yawanawa), Bahia (Tupinambá e Pataxó), Maranhão (Guajajara), Mato Grosso (Karajá e Território Indígena do Xingu, Kalapalo e Kisedje), Mato Grosso do Sul (Terena), Minas Gerais (Xakriabá), Pará (Munduruku), Paraná (Guarani Mbya), Rondônia (Paiter Suruí e Uru-eu-Wau-Wau), Roraima (Wapichana, Macuxi e Taurepang), Santa Catarina (Guarani, Kaingang, Xokleng) e Tocantins (Apinajé, Avá Canoeiro, Javaé, Kanela, Xerente).

De acordo com a imprensa nacional, tratam-se de ações independentes. O plano de contingência nacional para Infecção Humana pelo Novo Coronavírus (Covid-19) em Povos Indígenas, emitido apenas em 17 de março pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), subordinada ao Ministério da Saúde, foi altamente criticado por lideranças indígenas, movimentos sociais e profissionais da saúde por ser genérico e não apresentar nada de concreto.

Ações sanitárias independentes acontecem em todo o país.

Comentários

comentários