O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, postou em sua página do Facebook, nesta segunda-feira (1), imagens aéreas da esperada obra que foi iniciada ainda em 2014, no governo Dilma Rousseff, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O ministro do governo Bolsonaro diz na postagem que o projeto dos acessos (cabeceiras) da ponte foi refeito em tempo hábil, corrigindo problemas encontrados com o solo da região, e que a empresa responsável pelos serviços já está mobilizada para finalizar a estrutura de concreto.

“Esta é a ponte sobre o Rio Madeira (Ponte do Abunã), na BR-364/Rondônia, que vai ligar em definitivo o Acre à malha rodoviária nacional. A obra está prevista para pelo governo Jair Messias Bolsonaro para conclusão em 2020”, afirma Tarcísio Freitas.

Apesar do otimismo do titular da pasta federal da Infraestrutura, a ponte que vai ligar pela primeira vez o Acre ao restante do país – sem a necessidade de uma desgastante e onerosa travessia por balsas – ainda não tem uma data certa de conclusão.

Depois de consumir mais de R$ 130 milhões em recursos financeiros, a obra completará no próximo mês de setembro 6 anos desde que foi começada e superará em 50% o tempo que foi levado para a construção de Brasília, a capital federal do Brasil, que levou menos de 4 anos para ficar pronta.

O maior problema para a conclusão da ponte, segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura Rodoviária (Dnit), é o acesso do lado direito do rio, já que as obras do lado esquerdo (sentido Acre) estão quase prontas.

A ponte sobre o Rio Madeira possui 1.084 quilômetro de extensão e os acessos que ligarão a estrutura à BR-364 possuem 2,7 quilômetros. O investimento total no complexo rodoviário, que é uma das maiores obras de engenharia já erguidas na Amazônia, está estimado em R$ 153 milhões.

Comentários

comentários