O Ministério da Cidadania e a Receita Federal assinaram nesta quinta-feira (9) um acordo para ampliar a fiscalização de combate ao recebimento ilegal do auxílio emergencial. A partir de agora, o processo de checagem para saber se o cidadão tem direito ao benefício também levará em conta o cruzamento de dados com a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física de 2019. Segundo a pasta, até a semana passada, o governo federal conseguiu recuperar R$ 57,5 milhões que foram recebidos por pessoas que não se encaixam nos critérios estabelecidos. Os dados também mostram que dos 65,4 milhões de beneficiados pelo programa, 0,44% não poderiam ter recebido o auxílio. As informações são da Agência Brasil.

Comentários

comentários