Após agredir e ameaçar a mãe de seu filho, Gualter Amélio de Oliveira, atual presidente da Federação Rondoniense de Xadrez vai para o xadrez.

Em pleno avanço da Covid-19 e em descumprimento à medida judicial protetiva da Lei Maria da Penha, Gualter Amélio de Oliveira, sob o pretexto de visitar seu filho, tentou agredir de forma violenta sua ex-esposa e ainda a ameaçou.

Diante da contrariedade da sua ex, que o alertou de que não era data de visita ao menor, Gualter Amélio de Oliveira passou a proferir palavras de baixo calão à vítima. Descontrolado, desferiu socos no portão e a ameaçou de mal injusto.

A ex-esposa, para garantir sua integridade física e moral, contactou a Polícia Militar e relatou o fato. Em razão da existência de medida protetiva concedida pelo d. juiz do 2º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Comarca de Porto Velho/RO, bem como o flagrante descumprimento de ordem judicial por Gualter Amélio de Oliveira, ele foi conduzido pela polícia à penitenciária de Porto Velho, na qual permaneceu preso por vários dias.
A questão que permanece é como Gualter Amélio de Oliveira, o atual Presidente da Federação de Xadrez de Rondônia, terá condições morais e éticas de fomentar a cultura do Xadrez neste Estado, quando é pessoa que atenta contra a dignidade de uma mulher, inclusive mãe do seu filho, e desonra a condição mínima para ser um educador: respeito pelo próximo.

Não custa lembrar que o xadrez se trata de esporte milenar que nunca teve um caso similar em que um de seus membros agredisse sua rainha.

Apenas para lembrar, nesse esporte há em seu tabuleiro uma das principais peças, e poderosa do jogo, rainha de todos: a DAMA, que se situa sempre ao lado do Rei.

atualizada as 15:02 dia 17/07/20202

Comentários

comentários