Connect with us

#Agronegócio

Nova indústria do Grupo Rovema é inaugurada

Published

on

O Grupo Rovema inaugurou mais uma empresa que está diretamente ligada a Rovema Agronegócios. A Sustennutri, uma indústria de nutrição animal, vai oferecer ao mercado uma linha de produtos que comprovadamente trazem resultados para os rebanhos. Seguindo os protocolos de segurança durante a pandemia, a inauguração contou somente com a presença da diretoria do Grupo, alguns gestores de outras casas e os representantes religiosos Pastor Maurício e Padre MIguel, que realizaram a benção do local.

As linhas Ox Premium, Ox Mega e Ox Power foram produzidas com base em estudos e tecnologias avançadas para que possam fazer a nutrição animal adequada de gados de corte, de leite e equinos.

Adélio Barufaldi, CEO do Grupo Rovema, destaca a união da tecnologia com a experiência “Nós estamos unindo a tecnologia com o nosso amplo conhecimento da área para desenvolver produtos além do comum, porque estamos sempre pensando na qualidade nutricional para que os rebanhos tenham o melhor desempenho.”, afirma.

Com a capacidade inicial de produção em 1.800 toneladas por mês, o objetivo é atender um grande mercado. “Inicialmente vamos atender os produtores de rebanhos aqui dos estados da região norte como Rondônia, Acre, Roraima e Amazonas, mas nosso objetivo é em breve atender países vizinhos como a Bolívia e o Peru.” informa Leonardo Bosco, zootecnista e gerente comercial da Sustennutri.

Para aqueles que querem saber maiores informações podem acessar o site www.sustennutri.com.br ou acessar as redes sociais @sustennutri

Comentários

comentários

#Agronegócio

Prefeita de Ariquemes visita produtor de silagem de milho e criador de gado leiteiro

Published

on

A Prefeita do Município de Ariquemes Carla Rezende Redano (Patriota), esteve na última quinta-feira (14) na zona rural de Ariquemes, a visita da Chefe do Executivo atribui-se ao apoio que a Prefeitura por meio da Secretaria de Agricultura Indústria e Comércio (SEMAIC), fará para dar sustentabilidade à agricultura familiar.

Na oportunidade acompanhou a prefeita, o Secretário de Agricultura de Ariquemes Antônio Marcos, Carla Redano visitou a propriedade do Senhor Adeir de Souza na BR-364 na altura do Km 500, produtor de silagem de milho e criador de gado leiteiro.

A Prefeita reforçou que a visita foi para conhecer a plantação de milho, o qual é feito Silagem para a alimentação das vacas leiteiras. “Além de oferecer toda assistência técnica, a Secretaria de Agricultura também viabilizará os maquinários para o preparo do solo e plantação do milho, fiquei encantada com o trabalho e produção do Senhor Adeir. A Prefeitura vai trabalhar para dar condições de produção ao Homem do campo, o qual é o responsável para colocar comida na nossa mesa.” Disse a prefeita.

De acordo com a Prefeita, a Secretaria de Agricultura Indústria e Comércio em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e Sindicato Rural, disponibilizam ao produtor um Zootecnista, que presta assistência técnica e gerencial para o plantio do milho e o devido cuidado na criação das vacas leiteiras. Além de oferecer toda assistência técnica, a SEMAIC também viabiliza os maquinários para o preparo do solo e plantação do milho, pontuou a Prefeita.

Comentários

comentários

Continue Reading

#Agronegócio

Nova praga ataca pastagens no Acre

Published

on

Uma nova praga tem causado danos nas pastagens em formação, conhecida como pulguinha-do-arroz (Chaetocnema sp.), que tem sido frequentemente relatada em diversos estados, inclusive no Acre, em vários municípios. A praga é um besouro de formato arredondado, liso, preto e brilhante que ataca plantas no início do desenvolvimento de várias cultivares. Em 1996, foi identificado pela primeira vez no estado, e desde 2014 os relatos são mais recorrentes.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Acre, Rodrigo Santos, o inseto se alimenta de várias espécies vegetais, como cana-de-açúcar, milho, trigo e arroz (polífago). A pulguinha-do-arroz adulta remove o tecido da epiderme, o que causa manchas esbranquiçadas nas folhas, um dano severo que pode causar a morte da forrageira, enquanto as larvas ficam no solo alimentando-se das raízes.

“O ataque acontece em fase crítica de desenvolvimento da planta, há um considerável desgaste e algumas podem não se recuperar. Além disso, algumas espécies são também transmissoras de viroses para as plantas jovens, mas não há certeza se a espécie reportada no Acre transmite essas doenças”, afirma Rodrigo.

Os danos causados nas pastagens podem ser da morte de algumas plantas até a perda total da semeadura, como aconteceu com o produtor rural do município de Bujari – AC, Rafael Mamud.

“A primeira vez aconteceu há quatro anos, eu perdi a semente que joguei, não conhecia a praga e perdi tudo, tive que semear novamente. Eu percebi quando o capim estava com 5 centímetros e começou a ficar amarelada e morreu. Quando aconteceu da segunda vez, eu usei o inseticida recomendado pelo engenheiro-agrônomo, dando um efeito sistêmico e deu certo.”, explica o produtor rural.

Métodos de controle

Por ser uma praga nova, ainda não há estratégia de controle bem definida para a pulguinha-do-arroz, nem produtos registrados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mas existem técnicas que podem ser utilizadas para diminuir o ataque.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Acre, Carlos Maurício de Andrade, o produtor deve monitorar o pasto que está sendo reformado, durante as primeiras semanas após o plantio, para observar se há sintomas de ataque para identificação da praga.

“O que temos recomendado aos pecuaristas é uma forma preventiva de controle, para que escolham sementes tratadas com inseticidas registrados para pastagens para tentar minimizar o problema do ataque”, afirma o pesquisador.

Andrade também indica consultar um engenheiro-agrônomo, caso seja detectado alta incidência de ataque dessa praga. O profissional vai recomendar um inseticida aprovado para a aplicação nas pastagens após uma verificação na área e no nível da incidência.

Para Rodrigo Santos, pesquisas devem ser realizadas para averiguar a eficiência desses métodos de controle nas condições climáticas nos diferentes estados brasileiros. “Para reduzir o ataque dessa praga, recomenda-se o aumento da taxa de semeadura em até 30% para aumentar a chance de plantas viáveis em seu estande. Existem cerca cinco insetos por planta, apesar de ser um inseto minuto, é possível ver a olho nu, facilitando o monitoramento do plantio”, explica.

Pesquisa
Em 1996, o inseto foi verificado no estado do Acre por Murilo Fazolin em arroz de sequeiro. Desde 2014, a pulguinha-do-arroz tem sido observada nas pastagens, principalmente na época de reforma. De acordo com Rodrigo, em 2019 foi instalado um experimento no Campo Experimental da Embrapa Acre para observar o ataque da praga em plantas novas de pastagem.

“Foram coletadas espécies in loco, com o auxílio de um aspirador entomológico e enviadas para identificação ao taxonomista Luciano Moura, do Museu de Ciências Naturais da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura em Porto Alegre, RS”, explica o pesquisador.

A Embrapa Acre publicou um estudo sobre a pulguinha-do-arroz em 2020, chamado “Pulguinha-do-Arroz (Chaetocnema sp.) (Coleoptera: Chrysomelidae): Nova Praga de Pastagens no Estado do Acre” e está disponível para leitura e download no Portal da Unidade.

Comentários

comentários

Continue Reading

#Agronegócio

AGRONEGOCIO, SUA LOGISTICA, E O DEVER DO MUNICÍPIO.

Published

on

A nível nacional em se tratando de logística do agro, é possível constatar que a lista de reivindicações é longa e passa pelos setores rodoviário, ferroviário, portuário e hidroviário.

Como reflexo disso, guardada a devida proporcionalidade, a nível de município o setor agropecuário, desde de muito tempo, vem se ressentindo da adequada intervenção da administração municipal no sentido de dotar as estradas e acessos secundários que compõem nossa malha viária, das devidas condições para propiciar o escoamento da produção.
Na condição de parlamentar, iremos cobrar da administração municipal a realização de um detalhado planejamento, que possa garantir ao setor agropecuário – que é o sustentáculo da nossa economia – a devida e necessária atenção por parte da administração municipal.

Apoiar um setor produtivo é dever do administração municipal, por atender o interesse público.

Rogério Petronilho

Comentários

comentários

Continue Reading
Advertisement

CADASTRE-SE

Newsletter

* indicates required

Trending