Além de prefeitos e ex-deputado presos, há dois deputados estaduais com mandatos sendo investigados em esquema de propina

Dos quatro prefeitos presos hoje pela Polícia Federal em Rondônia, dois iriam disputar a reeleição, e um havia conseguido retornar ao cargo depois de ser cassado. Na casa dele, aliás, a PF encontrou uma quantia em dinheiro vivo que pode chegar a R$ 150 mil.

De acordo com informações obtidas pelo site, o empresário Luiz Ademir Schock, o Luizão do Trento (PSDB), prefeito de Rolim de Moura, chegou a ser filmado recebendo propinas. Ele teve o mandato cassado por crimes eleitorais, mas foi autorizado pela justiça a reassumir. O dinheiro em espécie na residência dele seria fruto de corrupção.

Liderando pesquisas de intenção de votos, a prefeita de Cacoal, Glaucione Rodrigues (MDB), foi presa junto com o marido, o ex-deputado estadual Daniel Neri

Gislaine Lebrinha, prefeita de São Francisco do Guaporé, também do MDB, é filha do deputado estadual mais bem votado em 2016, José Lebrão, do mesmo partido.

Outro que havia tido seu nome aprovado em convenção para disputar um segundo mandato é Marcito Pinto, do PDT, prefeito de Ji-Paraná, segunda maior cidade do Estado. Ele era vice e havia herdado o cargo quando o titular, Jesualdo Pires (PSB) renunciou para disputar o Senado em 2022.

Além destes políticos que foram presos, ainda há dois deputados atualmente exercendo mandatos, e que possuem imunidade. Ambos, no entanto, são investigados no mesmo esquema de propinas denunciado por um empresário. Ambos acabaram escapando por terem foro especial.

Comentários

comentários