Quem anda se descuidando e achando que o pior da pandemia da Covid 19 já passou e que pode se descuidar, está completamente enganado. Basta ver os números dos últimos 30 dias. Embora tenham diminuído um pouco em relação ao pique que tivemos entre junho e meados de agosto, ainda são muito preocupantes. Só para se ter ideia, desde o dia 25 do mês passado, tivemos nada menos do que 228 mortes. Vamos acompanhar algumas comparações. Em um mês, o total de mortes saiu de 1.100 para 1.328, ou seja, 228 perdas a mais, numa média diária de 7,6 óbitos a cada 24 horas. No mesmo período, o total de casos de rondonienses, saltou de 53.119 para 64.732, num aumento de 11.613, ou seja, 387 novos contaminados por dia; 16 a cada hora. Se formos considerar apenas os números de Porto Velho, nesses 30 dias, o total de óbitos subiu de 634 para 711. Na Capital, portanto, onde os números estão caindo, ainda assim tivemos 77 óbitos, uma média de 2,5 mortes a cada dia. Os dados positivos também merecem destaque. Tínhamos, em 25 de agosto, 44. 682 recuperados. Na sexta, 30 dias depois, esse número cresceu para 56.573: 11.891 rondonienses se livraram do vírus, nesse período. O volume de internações em hospitais também caiu: eram 366 em leitos comuns e nas UTIs e, no Boletim 190, de um mês depois, esse número caiu para 146, ou seja 220 leitos a menos estavam ocupados, por afetados pela doença.

Comentários

comentários