Já a situação em Cacoal é bem diferente, pelo menos o era até a noite desta terça. Com a prisão da prefeita Glaucione Rodrigues, também afastada de suas funções por 180 dias, pela Justiça, não há vice para assumir. O deputado estadual Cirone Deiró, eleito na chapa de Glaucione, automaticamente renunciou ao cargo municipal, quando assumiu seu posto na Assembleia, há quase dois anos. O presidente da Câmara, Valdomiro Corá, deve ser candidato à reeleição e, portanto, não assumiria a Prefeitura por três meses. A tendência, segundo fontes bem informadas, que acompanham o assunto de perto, é que seja nomeado um Magistrado da Justiça estadual para concluir o mandato e dar posse ao eleito em novembro. Por enquanto tudo é ilação. Para substituir Glaucione na chapa que já estava formada, numa aliança de vários partidos, poderá ser confirmado o nome de Marcos Vasques, que hoje é secretário de Saúde de Ji-Paraná, mas personagem importante na política de Cacoal. Por enquanto, sem a Prefeita presa, o principal concorrente é o jovem deputado estadual Adailton Fúria. Glaucione, Marcito Pinto, Luizão do Trento, de Rolim de Moura e a prefeita Lebrinha, de São Francisco do Guaporé, foram presos na semana passada, numa operação conjunta da Polícia Federal e Ministério Público. Todos são acusados de achacarem um empresário, em troca de propina

Comentários

comentários