Diretor do DEr se esconde da imprensa

Assessoras do departamento não conseguiram explicar a motivação do furto (OCORRÊNCIA Nº 150450/2020, Registrada em 04/10/2020, às 19h42min)

Tudo indica que que a motivação do furto da máquina pavimentadora que estava à disposição da prefeitura de Porto Velho foi política. A ordem para a prática do crime partiu do diretor-geral do DER, Elias Rezende, conforme confessaram duas assessoras dele. O equipamento foi retirado irregularmente da rua Pau Ferro, zona sul da capital, no sábado (3). Foi registrada ocorrência policial.

 

 

Em uma nota, o DER tentou justificar o furto dizendo que a máquina pertence ao departamento. Acontece que o equipamento estava cedido para a prefeitura por convênio.

VEJA A NOTA

A imprensa consultou advogados, verificando que o DER tinham a propriedade do equipamento, mas não o direito de posse e usufruto, que era da prefeitura.

Depois que vazaram na Internet imagens de servidores do DER praticando o furto, diversos jornalistas foram ao CPA na manhã desta segunda-feira (5) tentar ouvir Elias Rezende, para que o diretor geral pudesse explicar a razão de ter ordenado a prática do crime. Os jornalistas ficaram cerca de duas horas na recepção e foram atendidos por duas assessoras lotadas no departamento.

As assessoras entregaram uma nota defendendo o furto, mas não souberam responder se a ordem para que o crime fosse cometido partiu de Elias Rezende ou do próprio governador. Os jornalistas leram para as assessoras o artigo 345 do Código Penal, onde é especificada a pena de 15 dias a um mês de prisão para aquele que fizer justiça pelas próprias mãos para satisfazer pretensão sua, ainda que legítima.

No convênio assinado com a prefeitura é especificado que “o foro competente para dirimir quaisquer questões decorrentes do presente instrumento é o da Comarca onde se sedia a primeira partícipe”.

 

Foi perguntado às assessoras do DER se houve alguma motivação política para a prática do crime, já que o governador não apoia o atual prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, que concorre à reeleição, mas elas não souberam responder.

OCOMBATENTE tentou entrar em contato com deputados que tem a base eleitoral na Capital mas sem sucesso, estamos a disposição para que queira se manifestar sobre o caso, já que afeta a sociedade.

Já em Ariquemes o DER entregou para a prefeitura uma usina de asfalto, também através de convênio, mas lá a usina não foi retirada da prefeita, entende-se que em Ariquemes o candidato tem o apoio do Governo.

A máquina pavimentadora estava asfaltando ruas na zona sul. Além de cometer suposto crime, a equipe do DER prejudicou a população.

Comentários

comentários