O primeiro caso de tentativa de impugnar uma das candidaturas à Prefeitura de Porto Velho, deu em nada. O próprio Ministério Público Eleitoral não acatou denúncia contra o Coronel Ronaldo Flores, que disputa a eleição pelo Solidariedade. Basicamente, a busca da rejeição da candidatura era porque o Coronel, ex comandante da PM, não teria tempo correto de ficha assinada com seu partido. A questão é que, na ativa, ele estava impedido de tê-lo feito. Há outros processos sendo analisados pelo TR E, mas, até agora, esse foi o único caso onde já há decisão e, portanto, o representante do partido comandado no Estado pelo ex governador Daniel Pereira pode sim, manter sua candidatura. No total, a Capital rondoniense terá o número recorde de 15 candidatos, dos quais dois (Ted Wilson, do PRTB e Geneci Gonçalves, do PSTU), não terão sequer acesso ao horário eleitoral gratuito.

Comentários

comentários