Câmeras constatam que o ônibus ficou 14 minutos parado, até que o candidato chegasse

Na manhã desta terça-feira (27) a concessionária de transporte coletivo de Porto Velho, JTP Transportes, mantenedora do Grupo COM, informou que realizou duas inspeções no ônibus 02.047, que circula na linha 213 (Presidente Roosevelt). A empresa, que começou a operar na capital este mês, relatou que nenhuma anormalidade foi detectada. O veículo foi mostrado em vídeo do candidato a prefeito Breno Mendes (Avante) aparentando problemas na rampa de acessibilidade a cadeirantes.

No vídeo que circula a partir do post do candidato, ele chega por “coincidência” no local quando um usuário portador de deficiência é abandonado em um abrigo de ônibus, depois que o veículo supostamente não conseguiu finalizar a descida do elevador. “Nos causou estranheza que o motorista não tenha conseguido operar o sistema. Ele recebeu treinamento inclusive para operar a alavanca de descida de forma manual em caso de problemas no controle remoto”, disse o presidente do Grupo COM, Paulo Henrique Wagner.

LEIA MAIS:
Breno Mendes é alvo de brincadeiras por ficar dizendo que vai tirar a Energisa de Porto Velho quando for prefeito

Esperou 14 minutos

Ao ter conhecimento do vídeo de Breno Mendes, o secretário de Trânsito, Transporte e Mobilidade, Coronel Nilton Kisner, solicitou as gravações das sete câmeras de segurança instaladas no veículo. As cenas capturadas mostram que o ônibus chegou na parada onde estava o cadeirante às 16h39 e só saiu às 16h53, ou seja, ficou aproximadamente 14 minutos parado.

 

LEIA MAIS:
E agora “fiscal do povo”, segundo o documento “Bebado deu tapas e chute” na ex-esposa.

 

O cadeirante Leudo de Andrade Dias procurou a empresa esta manhã que acionou a fiscal da Semtran, Adriana Rosa, para ouvir o usuário e presenciar os trabalhos de inspeção do ônibus. Ele disse que embora tenha sido deixado para trás pelo motorista, a rampa chegou a descer até o solo, mas em seguida foi acionada novamente. Em vídeo gravado pela técnica e servidora de carreira, com a autorização do uso de imagem, o cadeirante revela que: “Eu fui subir para ir pra vir pra minha casa. Aí chega o Breno. Eu não tinha visto. Chegou parou a carro lá atrás, ele e mais quatro, e começou a filmar. Depois me ofereceu carona e eu aceitei. À noite vi que ele tinha postado tudo na internet. Usou a minha imagem sem autorização. Eu vou atrás de um advogado para entrar na Justiça contra ele”, disse o usuário.

LEIA MAIS:
Justiça proíbe candidato do governador de continuar fazendo campanha em órgãos públicos

 

A empresa JTP Transportes vai usar as imagens capturadas por sete câmeras para dar início a procedimentos administrativos e judiciais.

Comentários

comentários