Connect with us

Porto Velho, Rondônia,

Polícia

Operação Drone: Policia Civil cumpre mandados de prisão, busca e apreensão e sequestro de valores

Published

on

Na manhã desta quarta-feira (18/11/2020) a Polícia Civil do Estado de Rondônia, por intermédio da 1ª Delegacia de Ji-Paraná (Núcleo de Roubos), deflagrou ação ostensiva para o cumprimento de 06 (seis) mandados de prisão temporária e 09 (nove) mandados de busca e apreensão visando coletar elementos de prova em inquérito que apura os crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, lavagem de capitais e outros delitos.

Além das buscas e prisões temporárias, também foi deferido o sequestro de valores em disponibilidade dos líderes do grupo, até o limite de 200 mil reais. Dois deles são presos conhecidos no meio policial como chefes/líderes de uma das facções criminosas que agem na região.

A ação teve como alvos 11 (onze) investigados indiciados pelos crimes referidos e suspeitos de promover e integrar organização criminosa voltada ao tráfico de drogas e outros delitos, em especial em fazer adentrar drogas e celulares na unidade prisional Agenor Martins de Carvalho, localizada em Ji-Paraná, para uso de uma facção criminosa que atua na região.

A investigação tramita há alguns meses, ficando claro que a ORCRIM ora investigada é um braço de uma facção nacional, que tem atuado no município de Ji-Paraná tanto nas ruas (com roubos e tráfico de drogas) como especialmente desenvolvendo métodos para fazer adentrar celulares e drogas para faccionados que estão recolhidos nas unidades prisionais.

A investigação teve início a partir de informações de que esse grupo criminoso estaria buscando formas de lançar drogas e celulares com Drones dentro da unidade prisional, tendo inclusive ocorrido duas tentativas falhas, com a apreensão ou abate dos aparelhos pelos policiais penais.

A Polícia Civil deflagrou anteriormente, em 27 de setembro de 2020, uma operação denominada Offline, em parceria com a SEJUS, visando também colher elementos para o indiciamento dos envolvidos, com o recolhimento de diversos aparelhos telefônicos dentro da unidade prisional, os quais eram utilizados pelos líderes da facção

Comentários

comentários

#Acre

PF investiga esquema de venda de relíquias arqueológicas encontradas no Acre

Published

on

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (5) a “Operação Elona”, que investiga possível prática dos crimes de alteração de locais, em razão do valor arqueológico, venda de materiais arqueológicos e estelionato. Nesse sentido, as investigações tiveram início a partir de notícia de crime, informando a possível comercialização de materiais arqueológicos na internet em plataformas digitais.

De acordo com a investigação, um suspeito, que se auto intitula “caçador de relíquias”, retira do Rio Acre, precisamente, na altura do estirão da Gameleira, materiais arqueológicos, sem autorização para tanto.

Segundo a divisão técnica do Iphan-AC, os objetos e relíquias seriam “garrafas de Stoneware (Grés) do século XIX, além de garrafas de vidro provenientes da Holanda, Irlanda, Inglaterra e Portugal. São materiais de diversos tamanhos e tipologias, que foram trazidas para a região na época da Revolução Acreana e, sobretudo, durante os Ciclos da Borracha, possuindo, portanto, mais de 100 anos e, consequentemente, um grande valor histórico”

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Rio Branco na residência do investigado, onde foi localizado grande parte do material arqueológico sob investigação. Foi realizada a prisão em flagrante de um indivíduo na posse das relíquias. Os materiais arqueológicos resgatados foram encaminhados ao IPHAN, a qual fará a destinação adequada para a conservação das relíquias.

De acordo com a Polícia Federal, as investigações continuarão em andamento para identificar outros envolvidos no esquema de comercialização ilegal de relíquias arqueológicas.

As condutas investigadas estão previstas, respectivamente, no artigo 63 da Lei de Crimes Ambientais (Alterar local especialmente protegido por lei, em razão de seu valor arqueológico, sem autorização da autoridade competente) e Estelionato – Art. 171, §2º, inciso I do Código Penal (Venda de materiais arqueológicos como própria).

Comentários

comentários

Continue Reading

Polícia

Feriadão de Ano Novo teve registro de uma morte nas rodovias federais em Rondônia

Published

on

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Rondônia divulgou na manhã desta terça-feira (5), os números referentes a Operação Rodovida, etapa Ano Novo.

Durante cinco dias (30/12/20 a 3/1/21), foram realizados 16 Comandos de policiamento específicos (equipamentos obrigatórios, motocicletas, ultrapassagem em local proibido) resultando na fiscalização efetiva de 1.244 veículos e 2.308 pessoas.

Os acidentes diminuíram consideravelmente. Na virada dos anos 2019/20, foram registrados 32. Já neste feriado houve 9 ocorrências, totalizando uma redução de 72%.

O número de feridos e de mortes também apresentou queda expressiva. No ano passado, 65 pessoas tiveram lesões e 6 morreram em decorrência de acidentes de trânsito nas rodovias federais em

Rondônia. Já em 2020/21, o número de feridos foi de 11 pessoas e 1 pessoa perdeu a vida. A redução em ambos os índices foi de 83%.

Na área criminal, 16 pessoas foram detidas, sendo dessas 4 por crime de trânsito. Houve também a recuperação de 5 veículos e a apreensão de quase 2 kg de cocaína.

Comentários

comentários

Continue Reading

#Brasil

Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella é preso

Published

on


O empresário Rafael Alves, o delegado aposentado Fernando Moraes e o o tesoureiro da campanha de Crivella, Mauro Macedo também foram presos

O prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella (Republicanos) foi preso na manhã desta terça-feira (22) em uma operação conjunta da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio. Faltam apenas nove dias para o fim de seu mandato.

Outras três pessoas também foram presas: o empresário Rafael Alves, o delegado aposentado Fernando Moraes e o o tesoureiro da campanha de Crivella, Mauro Macedo.

O ex-senador Eduardo Lopes, que herdou o cargo de Crivella, também é alvo da operação, mas não foi encontrado em sua casa no Rio. Ele teria se mudado para Belém e deverá se apresentar à polícia. Lopes também foi secretário de Pecuária, Pesca e Abastecimento do governador afastado Wilson Witzel.

Como o vice-prefeito, Fernando McDowell, morreu em maio de 2018, quem assume a prefeitura neste período será o presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felipe (DEM).

A ação é um desdobramento da Operação Hades, que investiga um suposto “QG da Propina” na Prefeitura do Rio, seguindo uma decisão da desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita.

Após ser preso, Crivella disse que a ação é uma “perseguição política” e que espera que seja feita a justiça. “Lutei contra o pedágio ilegal, tirei recursos do carnaval, negociei o VLT, fui o governo que mais atuou contra a corrupção no Rio de Janeiro”, afirmou.

Comentários

comentários

Continue Reading

CADASTRE-SE

Newsletter

* indicates required

Trending