Connect with us

Porto Velho, Rondônia,

#Saúde

Cremero reforça orientação de protocolo para prevenção de infecção respiratória na infância

Published

on

Com objetivo de garantir a efetividade do tratamento preventivo do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) em Rondônia, a Agevisa reforçou a orientação quanto à prescrição por parte dos profissionais médicos do Palivizumabe, conforme as indicações descritas no protocolo. O Vírus é sazonal e considerado a maior causa de infecção respiratória na infância, podendo ser confundido com um simples resfriado em crianças acima de dois anos de idade, ou adultos saudáveis. O Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) reforça a divulgação através de seus canais de comunicação e departamento de Registro de Especialidade.

Em Rondônia, o período de sazonalidade do vírus ocorre de fevereiro a junho de cada ano e o protocolo recomenda que o período de aplicação seja iniciado um mês antes do início da sazonalidade, assim a aplicação deve ser iniciada em janeiro de cada ano. “Junto com a prescrição em receituário, o especialista deve preencher o formulário específico de indicação do Palivizumabe, disponível nos polos referenciados, bem como dar todas as orientações aos responsáveis pela criança, facilitando o processo de compreensão familiar. Cada criança poderá receber no máximo 5 doses intramuscular, de 15mg/kg de peso, com intervalo de 30 dias entre as doses, sendo o produto seguro que não apresenta eventos adversos importantes além de reações locais, raras, leves e transitórias”, destacou o pediatra e Conselheiro do Cremero, Dr. José Roberto Vasquez.

O presidente do Cremero, Dr. Robinson Machado explicou que o protocolo com o Palivizumabe está indicado para a prevenção de infecção do trato respiratório inferior causado por este vírus em crianças com maior risco de complicação da doença, ou seja, crianças menores de um ano de idade que nasceram prematuras com idade gestacional menor ou igual a 28 semanas (até 28 semanas e 6 dias), crianças menores de 2 anos de idade com doença pulmonar crônica da prematuridade, displasia broncopulmonar e crianças menores de 2 anos de idade com doença cardíaca congênita com repercussão hemodinâmica demonstrada. “É fundamental a divulgação em massa deste protocolo, e também a adesão dos profissionais, para cuidar de nossas crianças”, acrescentou.

Eficácia e polos de aplicação

A administração mensal do anticorpo durante a sazonalidade do VSR reduziu de 45% a 55% a taxa de hospitalização relacionada à infecção por este vírus. O Diretor Geral da Agevisa, Edilson Batista da Silva, ressaltou que todos os serviços de saúde autorizados para aplicação de Palivizumabe devem seguir o período de sazonalidade do vírus sincicial respiratório, otimizando o uso da medicação com agendamento de um grupo de crianças que tenham indicação para o mesmo dia, desta forma evitando o desperdício do produto. “Como não há tratamento específico para a infecção por VSR, a principal forma de prevenção é por meio do Palivizumabe que não é uma vacina, mais sim um anticorpo monoclonal humanizado que demonstrou ser eficaz na prevenção das doenças graves pelo VSR por apresentar atividade neutralizante e inibitória da fusão contra este vírus”, acrescentou.

Os polos de aplicação no Estado de acordo com o município de residência do paciente são:

PORTO VELHO – Hospital Base/CRIE. Referência para atender os municípios de Porto Velho, Candeias do Jamari, Itapuã D’Oeste, Guajará-Mirim, Nova Mamoré e toda demanda do Estado.

ARIQUEMES – Hospital Municipal da Criança. Referência para atender os municípios de Ariquemes, Cujubim, Rio Crespo, Alto Paraíso, Cacaulândia, Machadinho D’Oeste, Monte Negro, Campo Novo de Rondônia e Buritis.

JI PARANÁ – Centro de Atenção Materna Infantil (CREAMI). Referência para atender os municípios de Ji- Paraná, Jaru, Ouro Preto D’Oeste, Presidente Médici, Theobroma, Vale do Anari, Governador Jorge Teixeira, Vale do Paraíso, Teixeirópolis, Urupá, Mirante da Serra, Nova União, Alvorada D’Oeste, São Francisco e Costa Marques.

ROLIM DE MOURA – Hospital Municipal Amélio João da Silva. Referência para atender os municípios de Rolim de Moura, Alta Floresta, Alto Alegre, Castanheiras, Novo Horizonte, Nova Brasilândia D’Oeste, Santa Luzia D’Oeste, Seringueiras, Parecis e São Miguel.

CACOAL – Hospital Regional de Cacoal – HRC. Referência para atender os municípios de Cacoal, Ministro Andreazza, Pimenta Bueno, Primavera de Rondônia, São Felipe e Espigão D’Oeste. Temporariamente, Cacoal também está responsável por Vilhena, Chupinguaia, Colorado D’Oeste, Cabixi, Cerejeiras, Pimenteiras e Corumbiara.

Acesse o link http://cremero.org.br/images/stories/arquivos/protocolouso_palivizumabe.pdf e veja na íntegra Portaria Conjunta nº 23, de 3 de Outubro de 2018 que aprova o Protocolo de Uso do Palivizumabe para a Prevenção da Infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório.

Comentários

comentários

#Saúde

Consórcio privado para aquisição de vacinas RO e AC recebe sinal verde da Pfizer

Published

on

O Consórcio Privado para Aquisição de vacinas no Acre, CONSIVAC, recebeu sinal verde nesta quarta-feira (3), da Pfizer no Brasil. O grupo, formado por 09 entidades associativas do Acre e Porto Velho, manteve contato com o gerente de comunicação institucional da representante.

“Foi firmado o interesse de aquisição através dos representantes da Pfizer no Brasil, estamos na fila de espera”, disse Isaac Ronaltti, representando da Consivac. De acordo a Consivac, a proposta é de aquisição de duas mil doses da vacina. O grupo garante que a compra estará de acordo com o Programa de Imunização do governo federal.

“A ideia agora do CONSINVAC é aumentar a pressão para a venda privada de maior lote, respeitando a doação obrigatória de 50% das doses ao Ministério da Saúde”, acrescentou o consórcio.

Na última semana, o consórcio recebeu a doação de mais de 4500 seringas e agulhas com protetores oficiais, quantidade suficiente para vacinar todos os cadastrados em uma plataforma digital.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (2) projeto de lei que permite a empresas e entidades privadas comprarem vacinas da covid-19 registradas em caráter emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), desde que doem parte para o Sistema Único de Saúde (SUS). O texto já tinha sido aprovado pelo Senado e segue para sanção presidencial.

com informações ac24horas

Comentários

comentários

Continue Reading

#Rondônia

Edição 348 – Boletim diário sobre coronavírus em Rondônia

Published

on

O Governo de Rondônia, por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulga os dados referentes ao coronavírus (Covid-19) no Estado.

Nesta quarta-feira (3) foram consolidados os seguintes resultados para Covid-19 em Rondônia:

Casos confirmados – 152.563
Casos ativos – 15.159 (9,94%)
Pacientes recuperados – 134.460 (88,13%)
Óbitos – 2.944 (1,93%)
Pacientes internados na Rede Estadual de Saúde – 400
Pacientes internados na Rede Privada – 145
Pacientes internados na Rede Municipal de Saúde – 163
Pacientes internados na Rede Filantrópica – 10
Total de pacientes internados – 718
Testes Realizados – 419.547

Aguardando resultados do Lacen – 980

* População vacinada:
1ª Dose – 47.519
2ª Dose – 9.784

Profissionais de Saúde vacinados:
1ª Dose – 26.444
2ª Dose – 9.207

Indígenas vacinados:
1ª Dose – 4.918
2ª Dose – 389

Idosos vacinados:
1ª Dose – 16.017
2ª Dose – 183
* (Dados obtidos às 18h)

ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES

Hoje (3) foram registrados 28 óbitos por Covid-19 em Rondônia, sete deles foram em Ji-Paraná, sendo dois homens (71 e 92 anos) e cinco mulheres (67, 45, 95, 65 e 42 anos); cinco em Porto Velho, sendo dois homens (49, 52) e três mulheres (32, 59 e 74 anos); dois em Cacoal, sendo uma mulher de 61 anos e um homem de 40 anos de idade; dois em Machadinho do Oeste, sendo uma mulher de 83 anos e um homem de 69. Foram registrados ainda o óbito de um homem de 72 anos de idade de Chupinguaia; um homem de 86 anos de Pimenta Bueno; um homem de 61 anos de Ariquemes; uma mulher de 57 anos de Espigão do Oeste; um homem de 44 anos de Buritis; uma mulher de 63 anos de Alto Paraíso; um mulher de 76 anos de São Francisco do Guaporé; um homem de 61 anos de Vilhena; uma mulher de 44 anos de Vale do Paraíso; uma mulher de 55 anos de São Miguel do Guaporé; um homem de 75 anos de Jaru; um homem de 89 anos de Theobroma e um homem de 84 anos de idade do município de Guajará-Mirim.
A Agevisa reforça ainda que os dados são analisados diariamente pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), que acompanha também a investigação epidemiológica feita pelas equipes de Saúde nos municípios, para checagem de dados.

Comentários

comentários

Continue Reading

#Saúde

Pfizer e Janssen: Saúde formaliza compra de 138 mi de doses de vacinas

Published

on


Ministério da Saúde publicou, em edição extra do DOU, avisos de dispensa de licitação para aquisição de imunizantes das duas fabricantes

O governo federal quer adquirir 100 milhões de doses da vacina do laboratório Pfizer e outras 38 milhões de doses da vacina da Janssen contra a Covid-19. Os imunizantes devem ser entregues até dezembro de 2021. A intenção de compra foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), nesta quarta-feira (3/3).

O Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde publicou, no DOU, os avisos de dispensa de licitação para as compras.


Mais cedo, a pasta já tinha informado que iria comprar as vacinas da Pfizer e da Janssen, após meses rejeitando propostas das duas empresas.

O governo tem sido pressionado para ampliar a oferta de imunizantes, após a explosão de novos casos de Covid-19 com internações e colapso de sistemas de saúde em todo o país.

A aprovação do projeto de lei nº 534, de 2021, na noite dessa terça-feira (2/3), pela Câmara dos Deputados, retirou os entraves jurídicos que haviam para a aquisição dessas vacinas.

Comentários

comentários

Continue Reading

CADASTRE-SE

Newsletter

* indicates required

Trending