Para não ter que esperar por vacinas por parte do governo federal, um consórcio formado por Estados da região Norte, Nordeste e Centro-Oeste tentam negociar a compra de milhões de doses da vacina Sputnik V produzida por um laboratório ligado ao governo da Rússia.

Mesmo ainda não tendo autorização para fazer a compra direta, os Estados ingressaram com uma ação no Supremo Tribunal Federal visando ter aval para aquisição já que o governo federal tem exclusividade na compra e distribuição da CoronoVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, no Estado de São Paulo.

Como a distribuição da vacina paulista produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac tem sido lenta devido aos trâmites burocráticos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e também da dificuldade de trazer insumos de outros países para produção em larga escala, os governos estaduais negociam por fora até ter uma autorização judicial.

o governador Flávio Dino, do Estado do Maranhão (PCdoB), é quem intermedia junto os russos a logística da compra. Num grupo de WhatsApp formado por governadores da Amazônia Legal, Dino afirmou que já iria negociar preços e prazos com os russos.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), é o desde dezembro de 2020 o presidente do Consórcio Amazônia Legal, formado pelos nove estados que compõem a região.

Flávio Dino, Governador do Estado do Maranhão
Leia mais em: https://veja.abril.com.br/blog/radar/flavio-dino-e-eleito-presidente-do-consorcio-amazonia-legal/

 

COM INFORMAÇÕES AGENCIAS DE NOTICIAS

Comentários

comentários