sábado, novembro 28, 2020

Arrependidos, querem voltar

O processo de separação começou em 2003. Deram entrada nos papéis, ao mesmo tempo em que cada um deles calculava o quanto ($$$) iria ganhar com o divórcio. Muita conversa a partir de então,...

“Corrupto sim, sonegador jamais!”

O título deste comentário foi feito pela Mar, quando vimos nos telejornais e saites que o ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, preso ontem na 42ª fase da Operação Lava Jato, declarou ao Imposto...

Prefeito (quase) invisível

Há uma semana o prefeito Hildon passou as chaves (perdão pelo trocadilho infame) do Palácio Tancredo Neves ao vice-prefeito Edgar do Boi Tonial. Como comentei aqui, Do boi estava em auto-exílio e foi chamado a ocupar...

Guajará-Mirim – Sob nova direção

Dos 27.802 eleitores inscritos no TRE-RO, pouco mais de 70% compareceram às zonas eleitorais neste domingo, 2 de abril, para a escolha definitiva do prefeito de Guajará-Mirim. Deu Cícero Noronha (DEM), com quase de 59% dos...

Efeitos colaterais

Será neste domingo, 2,  a eleição fora de época em Guajará-Mirim, já que o pleito realizado no dia 3 de outubro de 2016 foi anulado. O vencedor não era ficha limpa. Os ânimos estão...

Já vi este filme antes

O Governo Federal anunciou ontem um corte profundo nas verbas de investimentos e custeios. R$ 42,1 bilhões no total, entre cortes em emendas parlamentares – obrigatórias e não obrigatórias -, nos repasses para os...

A Pipira não pode ver eleição…

Fiquei uns poucos dias fora de Porto Velho durante o carnaval. Ao retornar fui recebido pela amiga Pipira, que esteve na “muda” por um tempo. Com vistosas penas pretas, contrastando com o bico branco,...

Burrocracia lucrativa

Li hoje uma matéria que confirma oficialmente o que eu já sabia por intuição. “Cartórios faturam R$ 1 bilhão por mês“, isso sem considerar que 570 cartórios não informaram seus rendimentos ao Conselho Nacional...

Um ‘é difícil’ chamado Prédio do Relógio

Ainda está incerto o futuro do “Prédio do Relógio” uma das edificações remanescentes da extinta Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. O prédio, inaugurado em 1950 para abrigar a administração da ferrovia, foi passando de mão...

Para depois do chuvaral

As chuvas que sempre caem nesta região na época do ano, no chamado inverno amazônico, provocam os mesmos estragos, os mesmos prejuízos e as mesmas reclamações e xingamentos contra o prefeito de plantão. Mesmo...